Uma senha sera enviada para seu e-mail

Roteiro de viagem para o Japão: 8 cidades em 16 dias

Minha viagem para o Japão foi a primeira feita por agência e com um guia. Não gostava da ideia de viajar com grupo, mas estava preocupada com a comunicação. E quando cheguei lá vi que realmente não seria simples se comunicar. Eu esperava que muita gente falasse inglês no Japão e não é isso que acontece. No fim a experiência foi maravilhosa e eu amei.

Eu achei um pacote sensacional, por um preço bom já que eu poderia escolher a opção de dividir um quarto com alguém. Reservando por conta acabava saindo mais caro pois eu estava viajando sozinha. No fim dei uma sorte tremenda. Como foi pouco depois do acidente nuclear e era inverno, havia poucos turistas.

O nosso grupo que deveria ser de 14 pessoas se resumia a mim e um australiano. Conclusão: acabei sozinha num quarto e tínhamos um guia só para nós dois. O guia tinha muita informação relevante e curiosidades que eu jamais saberia se não fosse por ele, ele nos levava aos lugares certos, íamos rápido e conseguíamos ver muita, mas muita coisa num dia.

Quando eu estava sozinha perdia muito tempo tentando chegar nos lugares ou pedindo comida e coisas assim. Sem falar que o pacote cobriu 8 cidades japonesas e eu tive uma noção do que é o Japão como um todo, porque visitamos desde a metrópole de Tóquio a cidades pequenas do interior. Achei todo o serviço impecável.

ATENÇÃO! Recomendamos sempre viajar para fora do Brasil com Seguro Viagem.
Faça aqui uma cotação sem compromisso e ganhe 5% de desconto com o cupom ESTRANGEIRA5

O guia era gente boa, nos levou para comer tudo quanto é comida diferente, nos encorajava a conversar com os locais e explicava as coisas da vida cotidiana no Japão. Aprendi coisas e curiosidades que jamais saberia sozinha.

Na maioria das vezes viajávamos de trem. Experimentamos o shinkansen, o famoso trem bala. Fizemos outros trechos de ônibus. Dormimos uma noite num templo, experimentamos um tradicional ryokan japonês e nas outras noites hotéis executivos simples, mas bons. A agência que usei fica na Inglaterra e se chama Inside Japan ToursEles são especialistas em Japão e tem vários pacotes diferentes para agradar qualquer um. Os tours são em inglês. Eu recomendo demais.

Roteiro: 8 cidades em 14 dias

Vou deixar meu roteiro aqui para que sirva de inspiração para você montar sua viagem caso prefira organizar tudo sozinho. Nesse mapa você pode visualizar melhor por onde passei:

E se for sozinho, deixo uma sugestão. Que tal no seu primeiro dia em Tóquio ter um guia que fala português para te dar as dicas de locomoção, indicar onde ir e comer e passar todas as orientações necessárias?  Nesse link você contrata seu guia privado em Português. Você marca idioma Português, quantidade de pessoas e número de horas que quer que o guia fique com você (de 2 a 6 horas).

Outra dica! Um aluguel de roteador wifi com preço ótimo e mega prático. Eles entregam no hotel e deixam um envelope pré pago para devolver o roteador depositando em qualquer caixa de correio (inclusive no aeroporto).

E ter um wifi o tempo todo pode te salvar. Teve dia que eu sai do metrô em Tóquio e simplesmente não consegui chegar no hotel pois saí numa saída diferente da que eu entrei. Tentei pedir informação para várias pessoas mas ninguém entendia nada. Tive que pegar um táxi e pagar uma grana, mesmo sabendo que estava a 3 quadras do hotel. Dá uma olhada aqui nesse roteador de wifi ilimitado.

Leia também: Internet no Japão – dica de wifi de bolso ilimitado

Kurashiki-Japao

Passeio de bike em Kurashiki

Tóquio

Começamos por Tóquio. Eu cheguei dois dias antes do início do pacote para aproveitar mais a capital japonesa. Então fiquei dois dias sozinha e outro dia com o guia. No dia com ele conhecemos muuuuita coisa. Visitei Akihabara para ver os eletrônicos, Shibuya, Shinjuku, o prédio da prefeitura de onde se tem uma bela vista do alto, fui numa cerimômia do chá, conheci o prédio da Sony para ver os novos produtos, subi na Mori Tower. E fiz muitas compras, especialmente de roupas.

Fiquei hospedada no Hotel Horidome Villa, perto das estações de metrô Kodenmacho e Ningyocho.

Vista do prédio da prefeitura de Tóquio

Se quiser visitar o Monte Fuji (e já aproveitar para andar de trem bala), tem um passeio super legar que inclui subida de teleférico, visita à cidade de Hakone e passeio de barco no lago Ashi. Aqui você vê o programa completo do passeio ao Monte Fuji.

Nagano

De Tóquio pegamos o trem bala para Nagano, que fica nos alpes japoneses onde podemos encontrar 9 das 12 montanhas mais altas no Japão. Foi em Nagano que aconteceu os jogos olímpicos de 1998 e por isso tem um excelente transporte público, informação em inglês para os visitantes e construções usadas para os jogos. Visitamos o Templo de Zenko-ji e nos hospedamos nas acomodações do templo! Na manhã do segundo dia acordamos cedo para ouvir os monges cantarem.

Aqui tive minha estranha experiência em um banho público japonês, um onsen. Leia o post para saber como foi!

Fiquei hospedada no Hotel Jal City Nagano. É legal que o café da manhã deles inclui pão, frutas e cereais e salva quem acha estranho o café da manhã japonês, que é igual ao nosso almoço.

 

Matsumoto

Matsumoto fica a 50 minutos de trem de Nagano. Visitamos o Castelo de Matsumoto, um castelo preto de madeira da época que Matsumoto era uma capital feudal. Depois uma volta pela cidade. A próxima parada foi Yudanaka Onsen que fica a 30km de Nagano, para ver os snow monkeys, os macacos fofos (e tarados) que vivem nas águas termais. Lindo lugar e os macacos muito engraçados.

Fiquei hospedada no Hotel Montagne Matsumoto.

Se você quiser ficar hospedado num ryokan, indico o Ryokan Seifuso.

Takayama

Outra cidade nos Alpes japoneses, que devido ao fato de estar isolada nas montanhas conserva uma atmosfera única. Aqui experimentamos dormir num minshuku, ou ryokan, uma tradicional acomodação japonesa. Fiquei no Minshuku Iwatakan. Você pode ler o post sobre como foi se hospedar no ryokan. Visitamos o museu local e me perdi por entre a neve que cobria a cidade. Jantamos no estilo tradicional no ryokan, vestindo kimono e tudo.

Fomos numa arquearia e passamos por vários bares à noite, comendo, bebendo e conversando com os locais.

Ryokan-japao

No segundo dia visitamos Hida No Sato, uma espécie de museu a céu aberto de casas rurais. Depois visitamos um dos produtores de saquês, aprendemos sobre a produção da bebida e provamos várias  🙂
Conhecemos a feira Jinya-mae e Takayama Jinya, um museu que fica numa casa que era do governo de Shogun Tokugawa.

Kanazawa

Pegamos o trem para Kanazawa, uma cidade super tradicional que fica na costa. A cidade tem um jardim fenomenal, o Kenroku-en. Também vistamos o bairro dos samurais, o templo Ninja e o castelo de Kanazawa.

Fiquei hospedada no Garden Hotel Kanazawa.

Hiroshima

Hora de ir de uma costa a outra de trem bala de novo. Hiroshima é uma cidade vibrante o que me surpreendeu por causa do seu passado triste. Visitamos o Peace Memorial Museum e Parque (que me deixou em lágrimas com a triste história da bomba e seus efeitos), o domo da bomba A, passeamos pelo centro, especialmente na Long Arcade onde ficam muitas lojas. E provamos o okonomiyaki de Hiroshima, uma delícia que eu gostaria muito de repetir. É uma comida ogra, tipo uma panqueca feita com muitos ingredientes diferentes.

Minha hospedagem foi o APA Hotel Hiroshima-Ekimae Ohashi

Miyajima

Uma ilha que fica bem perto de Hiroshima e vale a pena visitar. É bem fácil ir de balsa. Tem um teleférico que leva ao topo do monte Misen, que tem uma bela vista do mar. Pela ilha desfilam veados que querem comer tudo o que vem pela frente. Sério, eu ria muito com as pessoas fugindo deles. Tem vários templos bonitos, como o Itsukushima Shrine. Fiquei apaixonada por esse lugar. Esse torii flutuante é um dos ícones de Miyagima.

Kurashiki

Aqui é interior do Japão. Aqueles lugares que as pessoas dão bom dia para todos na rua. Tinha até máquinas de descascar arroz na rua, para as pessoas descascarem o arroz que produzem. A cidade é famosa pelas casas que funcionavam como depósito de arroz pago como impostos e trazidos aqui de outros áreas próximas. Muitas dessas casas foram convertidas em museus.

Alugamos bicicleta e demos uma volta pelos campos e pela cidadezinha. Depois fomos para um lugar de beiseball. Uma máquina arremessava as bolas que deveríamos rebater. Claro que não consegui rebater nenhuma.
Fiquei hospedada no Hotel Resol Kurashiki.

Kurashiki-japao

Kyoto

Sem dúvida, um dos pontos altos da viagem ao Japão. Kyoto é a capital cultural do país e é uma cidade linda. Aqui vi muita gente vestida com kimonos e roupas tradicionais. As mulheres com os cabelos presos e enfeitados. Fizemos uma caça às gueishas na primeira noite, rodando pelo bairro de Gion. E conseguimos ver duas! Se você tem interesse em saber mais sobre o assunto, faça esse tour guiado sobre as gueishas.

Visitamos templos como o Ginkaku-ji e ainda peguei um festival importante onde tinha várias apresentações típicas, inclusive de gueishas. No segundo dia fui visitar Inari, um templo maravilhoso que fica a meia hora de trem de Kyoto e tem centenas de Torii, formando esses corredores lindos.

Outra ideia é aprender sobre a cerimônia do chá na cidade mais rica em detalhes desse roteiro.

Se prepare para os valores de hospedagem em Kyoto! É a cidade onde a acomodação é mais cara. Eu fiquei no Smile Hotel Kyoto Shijo.

Yokohama

Voltamos para o começo da viagem. Yokohama fica bem perto de Tóquio e é a segunda maior cidade do Japão. No caminho passamos pelo Monte Fuji. Yokohama também fica na costa e tem um parque de diversões com uma roda gigante enorme. A área do Harbour é legal para caminhadas.

Visitamos Chinatown e vários templos. Terminamos na Landmark Tower, o prédio mais alto do Japão.
Em Yokohama fiquei no Hotel APA Yokohama Tsurumi

Espero que esse roteiro te ajude. A viagem foi sensacional e eu amei cada cidade que visitei. Sei que ainda faltaram outras cidades importantes como Nara e Osaka. Também gostaria de ir para Okinawa (como toda fã do filme Karate Kid) rs

Já foi pro Japão e passou por outra cidade ou sonha em conhecer a terra do sol nascente? Conta para mim nos comentários!


Leia nossos outros posts sobre o Japão:

– Como é se hospedar em um tradicional Ryokan Japonês

– Internet no Japão: dica de wi-fi de bolso para ficar conectado!

-Maid café em Tokyo: estranhezas do japão

– Minha estranha experiência em um banho público japonês

– Japonês básico para viagem: um guia de sobrevivência


Salve a imagem abaixo no Pinterest e aproveite para ver nossos Painéis de Viagem!

roteiro-viagem-japao

IMPORTANTE! Não esqueça de adquirir o seu Seguro Viagem. Ele é obrigatório para entrar na Europa, mas mesmo nos países sem obrigatoriedade é muito importante ter o seguro. Nos Estados Unidos, por exemplo, uma consulta médica ou internação pode custar uma verdadeira fortuna e com o seguro, você terá todo o tratamento coberto. Leia sobre quando ficamos doentes no Egito e na Espanha, ou sobre outra vez em que pegamos uma intoxicação alimentar fortíssima na Bolívia. O Seguro Viagem nos salvou!
Faça aqui uma cotação sem compromisso e ganhe 5% de desconto com o cupom ESTRANGEIRA5

Planeje sua viagem! Faça suas reservas com nossos parceiros pelos links:
Compre o Seguro Viagem com a Seguros Promo
Reserve seu hotel ou hostel com o Booking.com
Compre ingressos antecipados de atrações no mundo inteiro e evite as filas com a GetYourGuide
Pesquise os melhores preços para alugar carro em mais de 140 países com a RentCars

Curta nossa página no Facebook!