Uma senha sera enviada para seu e-mail
o38ptYrBJhM

Roteiro completo de Madri

Viajamos a Madri saindo de Barcelona de ônibus. Apesar da viagem durar longas 8 horas, era a opção mais barata. Os voos são um tanto caros e de última hora o trem também é caro. Existe o trem de alta velocidade que leva apenas 2:30, mas este custa quase 60€ o trecho.

Resolvemos encarar o ônibus que custou 29€ ida e volta. O transporte rodoviário na Espanha é quase que exclusivo da empresa Alsa. DICA: reserve um assento mais para o fundo do ônibus. Os motoristas vão ouvindo rádio e quase enlouquecemos com o barulho. Se quiser dormir, ler ou ouvir sua própria musica fica complicado. As paradas também são equivocadas. Na ida o ônibus saiu às 10:30, fez uma única parada de 15 minutos ao meio-dia e nada mais. Todo mundo morrendo de fome.

Então leve sanduíches. Chegamos no terminal Avenida América, que está conectado ao metrô. Ali compramos um bilhete de 10 viagens. Diferente de Barcelona, em Madri o bilhete é válido para apenas um meio de viagem. Ou uma viagem de metrô, ou uma de ônibus, ou trem. Não há interligação. A rede de metrô é relativamente grande, mas um tanto insuficiente. Está sempre cheia. O metrô funciona até 1:30 da manhã. Reservamos 2 dias e meio para Madri.

ATENÇÃO! O Seguro Viagem é obrigatório para entrar na Espanha.
Faça aqui uma cotação sem compromisso e ganhe 5% de desconto com o cupom ESTRANGEIRA5

Fomos direto para a casa do Gaspar, um querido amigo brasileiro de longa data que nos hospedou. Mas se você não tem um amigo pra te receber em Madrid, temos uma dica da leitora Selma, que se hospedou no Hostel Met Madrid e adorou. Ela pegou um quarto privativo bacana, disse que a localização era ótima, pertinho de tudo, hostel limpo e eles inclusive deixaram um agrado para ela e o namorado: uma garrafinha de espumante Freixenet e bombons <3  Então fica aqui a recomendação. Para reservar o Met Madri clique aqui.

Chegamos num sábado a noite e claro que era noite de balada. Saímos e fomos comer no centro. Descemos no metrô Gran Vía e descemos a Calle de la Montera, a mais famosa rua de prostituição na cidade. Ali as prostitutas são aceitas e dividem espaço com as famílias que passam pelo calçadão. Gaspar contou uma curiosidade chocante. Na Espanha roubar até 400€ não dá cadeia!!! Você apenas paga uma multa e tudo bem!!!! Então cuidado com os batedores de carteira, pois roubar apenas algumas centenas de Euros não é problema.

Tomando sangrias no Museu do Jamon, Madrid

Tomando sangrias no Museu do Jamon, Madrid

Fizemos como os espanhóis costumam fazer, circulando por vários restaurantes e bares de tapas, petiscado e bebendo aqui e ali. Em Madrid você pede algo para beber e vem junto um tapa, um petisco que pode ser um montado (um sanduichinho), um salgadinho, azeitonas, etc. Gaspar nos apresentou os locais bacanas da cidade. iniciamos na La Casa del Abuelo, um tradicional restaurante inaugurado em 1906 focado em camarões, nossas amadas gambas!

Comemos uma porção a la plancha (chapa) que estavam deliciosos + croquetes de camarão + gambas al ajillo (azeite fervendo e alho). Esses três comes + uma jarra de sangria + cerveja custou 53€. A sangria é feita com o vinho próprio produzido por eles e estava incrível. Há 3 destas tavernas: Calle Victoria 9 y 12, Nunez de Arce 5 e Goya 57.

Seguimos para o Museu do Jamón, uma rede que nos lembrou muito o Estadão Lanches do centro de São Paulo. É um boteco onde a galera vai fazer esquenta para balada e encher o estômago. Muitos jovens lotavam o local. Tomamos mais sangrias e provamos montados de jamón. Seguimos para outro bar onde tomamos uma sidra local. Fomos encontrar a Bia, outra amiga brasileira que mora em Madri.

Juntos continuamos madrugada adentro caminhando pelos bairros de balada, La Latina e Chueca. Entramos na balada onde a Bia trabalha, a Revolution, um club gay com drags dançantes. Apesar da balada ser gay, tinha todo tipo de público e estava rolando um assédio típico de balada hétero (rs). A galera vinha pegando e agarrando direto. Fim de um dia muito longo.

Barracas na feira El Rastro de Madrid

Barracas na feira El Rastro de Madrid

Apesar da madrugada festiva acordamos pela manhã para o passeio mais tradicional de Madrid: a Feira El Rastro. Descemos no metrô La Latina, junto com metade da cidade que estava lá. Todo domingo as ruas da área ficam lotadas de madrilenhos e turistas que garimpam antiguidades e pechinchas da China em centenas e centenas de barraquinhas.

Aproveitamos para experimentar a tosta, tradição da cidade: pão coberto com algum recheio gostoso (queijo de cabra, camarão, polvo, salmão, jamón e muitas outras opções!). Existem muitos locais, mas o mais tradicional e com mais fila é El Capricho Extremeño, que fica na Calle Carlos Arniches. Cada tosta custa 3€.

Tostas, iguaria deliciosa tradicional de Madrid

Tostas, iguaria deliciosa tradicional de Madrid

Depois de passear pela El Rastro, Gaspar nos levou para um restaurante que fica escondido, um daqueles tesouros que só um local conhece. Não há nenhuma indicação na rua. O Terraza Casa de Granada fica no topo de um prédio que parece bem comercial (Calle Doctor Cortezo, 17 – Metro Tirso de Molina). Peça uma mesa na terraça para desfrutar da vista de Madri e um sol gostoso enquanto toma outra cerveja.

Madrid vista do terraço da Casa Granada

Madrid vista do terraço da Casa Granada

Domingo é o dia de aproveitar os Museus de Madri que são gratuitos no período da tarde. Fomos para o Reina Sofia (grátis a partir das 14h). Acabamos não entrando pois tinha que deixar as mochilas nos armários. Primeiro que não tinha armários livres, quando conseguimos um percebemos que não tínhamos moedas para as trancas do armário. O funcionário não foi muito amistoso para ajudar a trocar o dinheiro, então fomos para a rua tentar fazer isso, mas aí deu preguiça de voltar, passar novamente pelo raio x, conseguir outro armário…  Leve moedas de 1€ e 0,50 ou vá sem bolsa.



Em frente ao Museu Reina Sofia há um quiosque de informação turística onde já dá para pegar mapas e folhetos sobre Madri. A uma pequena caminhada dali está a estação Atocha. Dentro dela há um gigante jardim tropical. Uma coisa pitoresca e exuberante. No lago que fica junto ao jardim há uma quantidade enorme de tartarugas. Muitas apinhadas! Parece que as pessoas quando se cansam das suas tartarugas vão largando lá.

Um inusitado jardim tropical dentro da estação de Atocha

Um inusitado jardim tropical dentro da estação de Atocha

Estação Atocha - Madrid

Estação Atocha – Madrid

Na estação existe também um memorial do atentado terrorista de 2004 que matou 191 pessoas. Atravessando a avenida se chega na Feira de Livros (Calle Claudio Moyano). Uma ladeira repleta da barracas com bancas na frente com muitos livros a partir de 1€. É possível achar de tudo ali.

Feira de livros entre a estação Atocha e o Parque do Retiro

Feira de livros entre a estação Atocha e o Parque do Retiro

Seguindo nessa rua chegamos ao Parque do Retiro e ficamos surpresas ao notar que a primavera anunciava sua chegada a Madri e as árvores estavam todas floridas. Por ser nosso primeiro dia quente desde que chegamos à Espanha, cercadas por flores, ficamos ultra contentes.

As flores anunciam a chegada da primavera em Madrid!

As flores anunciam a chegada da primavera em Madrid!

O parque estava bem cheio. Caminhamos até o Palácio de Cristal, uma enorme e linda casa que fica em frente a um pequeno lago.

Palácio de Cristal, dentro do Parque do Retiro

Palácio de Cristal, dentro do Parque do Retiro

Andando mais um pouco chegamos a um lago grande construído no século XVII com um enorme monumento a Alfonso VII. Nesse lago costumam haver barquinhos para passeio. Como já era tarde (umas 18h) não havia mais nenhum. Há diferentes jardins, prédios, esculturas e fontes a serem visitados.

Monumento a Alfonso VII

Monumento a Alfonso VII

Descemos pelo Paseo Paraguay por um belo jardim enquanto um pôr-do-sol maravilhoso pintava o céu de amarelo e azul.

Fim de tarde especial em Madrid!

Fim de tarde especial em Madrid!

Ao chegar na rua estávamos em frente ao Museu do Prado. Infelizmente já estava fechado. Mas vale lembrar que aos domingos depois das 17h a visita é gratuita. Seguimos caminhando para a direita até a Porta de Alcalá, uma das cinco portas Reais que antigamente davam acesso à cidade de Madri. Fica no centro da Plaza de la Independencia e é um ponto turístico tradicional.

Porta de Alcalá

Porta de Alcalá

Basta seguir um pequeno trecho pela calle de Alcalá e se chega a Plaza Cibeles, com a linda fonte de Cibeles, de 1782. Em cada esquina da praça ficam prédios monumentais e maravilhosos, como o Palácio de Comunicaciones. Há um mirador no 8o andar do Palácio de Cibeles, 1. Custa 2€ e precisa reservar no ticket office no 2o andar. Terminamos o dia caminhando até a Gran Via para comer e voltamos para casa.

Fonte de Cibeles

Fonte de Cibeles

Nosso segundo dia começou na Plaza de Toros de Madrid, onde acontecem as famosas Touradas (metrô Ventas). É possível pagar para fazer uma visita a arena, mas nós optamos por não fazer, não somos a favor desse tipo de “esporte”, não teria motivo pra visitar lá dentro. Apenas apreciamos a arquitetura e esculturas ao redor.

Plaza de Toros

Plaza de Toros

Dali seguimos para uma rápida visita a El Deseo, produtora do famoso diretor espanhol Pedro Almodovar. A Gabi o ama e fez o TCC da sua graduação sobre seu trabalho, então passamos lá para deixar uma cópia para ele. Tomara que a secretária deixe a cópia com ele, né?!   🙂

Gabi na produtora El Deseo, de Pedro Almodovar.

Gabi na produtora El Deseo, de Pedro Almodovar.

Tomamos o metrô para a Puerta Del Sol, a principal praça de Madrid, sempre cheia de gente. Ali fica a escultura do Urso e o Madroño, símbolo da cidade. Há vários edifícios icônicos e fontes onde a galera fica sentada.

Puerta del Sol

Puerta del Sol

Pegando a Calle Mayor logo chegamos a Plaza Mayor. A praça é imensa e data do século XVI. No centro há uma estátua de Filipe III.

Gostoso sentar em um dos restaurantes e beber algo (nossa dica é o Tinto de Verano, uma bebida leve a base de vinho tinto. Parece a sangria, mas é mais leve e é bem mais barata!).

Tinto de verano

Tinto de verano

Logo atrás da praça fica o Mercado de San Miguel (Plaza de San Miguel, s/n 28005). O mercado completou 100 anos em 2013, mas foi recentemente reformado e está lindo. Babamos com tanta coisa gostosa para comer. Provamos alguns doces, mas tivemos vontade de comer tudo o que tinha por ali (vejam no vídeo!!!!). O mercado funciona todo santo dia. Das 10h às 24h. Na quinta, sexta e sábado vai até às 2 da manhã.

O blog Cantinho de Ná fez um post super completo sobre o mercado, confira: Mercado de San Miguel em Madrid, um tour pela culinária Espanhola.

Mercado de San Miguel

Mercado de San Miguel

Voltando a Calle Mayor continuamos descendo até chegar à imponente catedral de La Almudena. É possível subir na cúpula para ver a cidade. Em frente a catedral está o Palácio Real, com uma grande praça ao centro. Demos azar e o Palácio estava fechado para visitação devido a um evento que estava acontecendo no dia. Mas tivemos a sorte de ver alguns cavalos reais puxando uma carruagem real.

Palácio Real de Madrid

Palácio Real de Madrid

Seguindo adiante se encontra de um lado a Plaza de España e de outro o Templo de Debod. Fomos primeiro para o templo pois era quase hora do pôr-do-sol e ali é o principal ponto de Madri para ver o astro rei baixar.

O concorrido por-do-sol visto do Templo de Debod.

O concorrido por-do-sol visto do Templo de Debod.

O Templo de Debod é um templo egípcio de 2.200 anos, que foi ofertado à Espanha pelo Egito pela ajuda com o salvamento do Templo de Abu Simbel. Um templo egípcio no meio de Madrid é meio estranho, mas é bonito. Ali perto sai o teleférico para a Casa de Campo, um parque que tem um famoso jardim de rosas. É um passeio bacana, mas que não fizemos por falta de tempo.

Templo de Debod

Templo de Debod

Voltamos para a Plaza de España que estava linda ao anoitecer.

E do outro lado da praça fica a Gran Via por onde continuamos a caminhada de volta para Puerta do Sol onde encontramos Gaspar e Carmen para jantar.

Fomos primeiro num bar subterrâneo com piano chamado Las Cuevas. De lá fomos para La Latina onde entramos em outro bar e terminamos a noite em outro muito fofo – La Perejila (Cavabaja 25).

La Perejila: tapas deliciosos!

La Perejila: tapas deliciosos!

Além do lugar ser tipicamente espanhol, as tapas eram deliciosas. Carmen e Gaspar escolheram diferentes coisas tradicionais para que a gente experimentasse – queijos, jamón de vaca, bacalhau defumado, patê de perdiz.

No outro dia fomos para Toledo, uma cidade medieval que fica a 70km de Madri é um passeio imperdível. Veja aqui o post explicando como ir e o que fazer em Toledo.

Ficaram faltando algumas coisas que não tivemos tempo de fazer, como ir no centro Cultural Matadero (Paseo de la Chopera, 14 – metrô Legazpi), os museus que acabamos não entrando, a Plaza de Castilla. Para quem gosta de futebol tem o Estádios do Atlético de Madrid e o Estádio Bernabéu (Real Madrid). 2 dias e meio foi pouco pra ver a capital espanhola, se durante nossa estadia na Europa sobrar tempo (e principalmente dinheiro!) pretendemos voltar para Madri e ficar mais uns dias por lá!

Dicas de Madri

Existe o Madrid Card, que inclui entrada para várias atrações na cidade. Se você pretende visitar várias delas veja se o valor compensa. Valor:
Adultos – 24 horas = 47€         48h = 60€        72h = 67€        120 = 77€
Crianças até 12 anos: 24 horas = 34€         48h = 42€        72h = 44€        120 = 47€

Inclui: Museo del Prado, Museo Reina Sofia, Museo Thyssen-Bornemisza, Palácio Real, Museo de Cera, Tour Real Madrid, Visita guiada Oficial, Teleférico, Plaza de Toros + descontos
É possível comprar ainda o bilhete turístico de transporte, com bilhetes diários que dão acesso ilimitado ao transporte público. Os dois podem ser comprados no site oficial: Madrid Card

Para ver a cidade do alto existem alguns miradores. Além do que já mencionamos no texto no Palácio Cibeles e da cúpula da La Almudena, tem outro no topo do círculo de Bellas Artes (Calle Alcalá, 42, metrô Sevilla). A compra dos tickets é na recepção. Outro local é o mirador  do Huerto de la Partida, no Madrid Rio (metrô Pirámides/Principe Pío).


Salve a imagem abaixo no Pinterest e aproveite para ver nossos Painéis de Viagem!

madrid_pinterest

IMPORTANTE! Não esqueça de adquirir o seu Seguro Viagem. Ele é obrigatório para entrar na Europa, mas mesmo nos países sem obrigatoriedade é muito importante ter o seguro. Nos Estados Unidos, por exemplo, uma consulta médica ou internação pode custar uma verdadeira fortuna e com o seguro, você terá todo o tratamento coberto. Leia sobre quando ficamos doentes no Egito e na Espanha, ou sobre outra vez em que pegamos uma intoxicação alimentar fortíssima na Bolívia. O Seguro Viagem nos salvou!
Faça aqui uma cotação sem compromisso e ganhe 5% de desconto com o cupom ESTRANGEIRA5

Planeje sua viagem! Faça suas reservas com nossos parceiros pelos links:
Compre o Seguro Viagem com a Seguros Promo
Reserve seu hotel ou hostel com o Booking.com
Compre ingressos antecipados de atrações no mundo inteiro e evite as filas com a GetYourGuide
Pesquise os melhores preços para alugar carro em mais de 140 países com a RentCars

Curta nossa página no Facebook!