Uma senha sera enviada para seu e-mail

EGITO

egito

 

Links para cidades
CAIRO      LUXOR     CRUZEIRO PELO RIO NILO       
ASSUÃ (ASWAN)        DESERTO       SHARM EL SHEIKH


O Egito está localizado no nordeste da África e faz parte do Oriente Médio. É um país muçulmano e sua língua oficial é o Árabe. É um dos destinos mais famosos do mundo, por sua relevância histórica: o país conserva muitos templos e outros pontos turísticos da época do Antigo Egito (3200 a.C. – 750 a.C.). Famoso pelas pirâmides, múmias e hieróglifos, o Egito é um país que vive do turismo, por isso desde a revolução e o desaparecimento dos turistas as coisas ficaram complicadas para eles. É cortado pelo famoso Rio Nilo, o mais extenso do mundo. Ficamos 15 dias por lá, e vimos bastante coisa. Nesse tempo já dá pra ver tudo, mas é num esquema bem ativo. Para quem quer ir com um pouco mais de calma (e ver Alexandria, que infelizmente nos faltou L indicamos 20 dias de viagem).

Indo do Brasil não existem voos diretos, então é preciso fazer escala em algum país da Europa ou África. O dinheiro deles é a Libra Egípcia, que é barata (quando fomos, em Janeiro de 2014, estava uma média de 3 reais pra cada libra egípcia). Tanto os hotéis quanto as comidas lá tem ótimos preços, então a parte mais cara das viagens realmente são as passagens de ida e volta. Para brasileiros é necessário obter o visto de entrada no país, mas isso é bastante simples: chegando no Aeroporto do Cairo, você se dirige ao guichê dos vistos, paga US$15,00 e obtém o adesivo do visto ali mesmo (válido por 30 dias, para turismo. Se você precisa de um visto mais longo ou para trabalho, entre em contato com a Embaixada Egípcia no Brasil).

Muita gente nos perguntou sobre a segurança por lá. Fizemos um post falando sobre isso. Veja aqui.

Por ser um país muçulmano, as mulheres de lá cobrem a cabeça com véu ou usam burca, mas as turistas não precisam se preocupar com isso – uma parcela da população é cristã e não usa, e eles vivem do turismo então estão acostumados. Apesar de não precisarmos cobrir a cabeça, é bom lembrar que não é uma boa ideia usar roupas curtas e decotes (a cultura é bem machista, e pode ser até perigoso sair assim. Lá é proibido ser gay, então casais homossexuais tem que ter muito cuidado para não demonstrar nenhum tipo de afeto em público – pode dar até cadeia.

Nós visitamos diferentes cidades em regiões distintas do Egito. Segue uma lista de cada uma delas, com o link para o post original bem detalhado das cidades, com várias fotos.

CAIRO: é a capital do Egito, a cidade mais importante e agitada. Ali você pode visitar as famosas Pirâmides, Esfinge e Museu do Cairo (lá estão as múmias dos faraós!). Além disso, no Cairo você pode visitar a Cidadela e Mesquita de Mohammed Ali, o mercado Khalil El Kalil, o Cairo Copta (parte cristã da cidade) e dar um passeio na beira do Rio Nilo. Em 3 dias você consegue ver tudo. Leia mais aqui.

LUXOR: é a antiga Tebas, uma cidade muito importante para um dos períodos do Império do Antigo Egito. Ali você pode visitar as famosas tumbas dos faraós (que são de cair o queixo!!!) e o templo de Hatshepsut no West Bank, e também ver os grandiosos e lindos templos de Luxor e Karnak, no East Bank. Por ali, é famoso o passeio de balão ao amanhecer. Em 2 dias dá pra ver tudo. Saiba tudo sobre Luxor aqui.

CRUZEIRO PELO RIO NILO: Um passeio imperdível. Existem várias opções, subindo ou descendo o rio, com itinerários de 3, 4 ou até mais dias. Normalmente todas as refeições estão inclusas e ao longo do passeio você vai desembarcando em cidades menores pra ver templos também. O pôr-do-sol no Rio Nilo é de tirar o fôlego. Leia tudo sobre o cruzeiro aqui.

ASSUÃ (ASWAN): Outra cidade importante para o Antigo Egito. Por ali existem alguns templos, a Nubian Village e a represa. Tem um centro comercial grande e a maioria dos hotéis também fica na beira do Nilo. Uma viagem muito legal de fazer é ir pra Abu Simbel, 3 horas de carro de Aswan. É um local distante que tem dois templos IMENSOS esculpidos direto nas montanhas. 2-3 dias por ali funcionam. Post completo aqui.

DESERTO: foi a nossa parte favorita da viagem. É sério, não deixem de fazer! Passamos 3 dias passeando num 4×4 e dormindo em acampamento no Western Desert. Fomos acompanhadas de beduínos que fazem tudo, inclusive uma comida incrível. Difícil é dizer se mais incrível são as paisagens, as dunas, as montanhas de cristal ou ver o céu estrelado do deserto. Post sobre o deserto aqui.

SHARM EL SHEIKH: fica do lado nordeste do país, no mar vermelho. O litoral é lindo, a cidade é toda pensada para atrair turistas. O mar vermelho é um dos destinos de mergulho mais famosos do mundo – a água é realmente cristalina. Dá pra nadar com golfinhos (em piscinas especiais) e visitar as ilhas por perto. A cidade também é famosa por suas festas. Ficamos lá 4 dias para descansar. Post sobre Sharm aqui.

ALEXANDRIA: Acabamos não visitando Alexandria pois, infelizmente não coube nos nossos 15 dias. Foi uma pena, pois é um dos destinos mais famosos do Egito. Fica na parte norte do país, e seu ponto turístico mais famoso é a Biblioteca de Alexandria.

 

Não fique com medo de ir pra lá e ter que se virar em árabe! No Egito muita gente fala inglês. Então pode contar com uma comunicação tranquila com pessoal de hotéis, guias e vendedores. Muitas pessoas também falam espanhol, italiano, grego e alguns até soltavam umas palavrinhas em português quando viam que éramos brasileiras!

Sempre, sempre, todas as pessoas em todos os lugares pedem e esperam por gorjetas – desde guias que realmente fizeram coisas legais por você até pessoas absolutamente aleatórias querendo distribuir papel higiênico num banheiro imundo ou funcionários do aeroporto tentando colocar sua mala na esteira – é sério, um cara pediu gorjeta por isso, dentro do aeroporto!! No começo não sabíamos quanto dar, mas ao longo dos dias fomos entendendo quanto valia o dinheiro egípcio e quanto cada uma das pessoas deveria ganhar de gorjeta. Outra coisa legal de saber é que o pessoal sempre aumenta bastante o preço de tudo pra turista, então tem que ficar barganhando sim se não quiser pagar mais do que as coisas valem. Isso acontece nas barraquinhas na rua e até em lojas. Para comprar roupas, lenços, souvenirs ou comidinhas é legal procurar lojas com preço marcado. A insistência dos vendedores é inacreditável. Eles podem te perseguir por horas tentando te vender algo. Leve uma dose extra de paciência.

Num geral, os egípcios cultivam uma vida que pende mais pra noturna do que pra diurna… Acordam tarde, entre 10h e 11h da manhã e dormem tarde, lá pelas 2h… É muito interessante ver que em cidades maiores, o comércio bomba mesmo à noite! As buzinas são enlouquecidas até tarde, as pessoas ficam na rua sem problemas. Mas calma, isso não significa que os pontos turísticos e guias só vão funcionar depois das 10h! O país realmente funciona pelo turismo então essas coisas abrem bem cedinho. Pode fazer seu itinerário tranquilo, e se quiser planejar acordar cedo todo dia pra aproveitar mais, fique à vontade.

O trânsito é caótico e exótico. Não existem faixas de pedestre, então se você quiser atravessar a rua tem que se enfiar com tudo… No começo dá medo, mas depois que você entende os esquemas pode ir com tudo que dá tudo certo!

As pessoas estão acostumados a lidar com turistas e são prestativos. Se você se perder em alguma rua, alguém vai te ajudar e dar dicas com prontidão. É um país culturalmente machista, e isso pode incomodar, mas dá pra levar. A comida é deliciosa e muito bem temperada. O chá egípcio também é maravilhoso, e pra quem gosta é tradicional ir nos cafés locais para tomar chá e fumar narguilé.

Nosso roteiro completo no Egito aqui